Guilherme

 

Olá pessoal, aí está um novo relato.

Um novo lar. A aquisição de uma casa significava para Sheila uma nova etapa em sua vida, era um recomeço. Após sair de um casamento conturbado, começar algo novo era tudo o que ela precisava.

Logo, Sheila e seus dois pequenos filhos mudaram-se para a nova residencia. Era uma casa antiga, mas muito bem conservada.

Sheila estava feliz da vida, e junto com alguns amigos, fez uma grande reforma na casa, jogou alguns fora alguns moveis velhos que ainda estavam por lá, comprou tudo novo e deixou o local arrumado do jeito que sempre sonhou. Tudo estava perfeito, até que coisas estranhas começaram a acontecer.

Certa manhã, bem cedo, antes de acordar seus filhos e prepará-los param irem a escola, Sheila foi até a cozinha e se deparou com os moveis todos fora do lugar, e não só na cozinha, a sala também estava toda revirada. Sheila ficou surpreendida e assustada com o que viu, e se perguntava como aquilo pode ter acontecido, pois na noite anterior, nem ela e nem seus filhos ouviram barulho algum. Como estava com pressa, Sheila deu uma rápida arrumada nos moveis e saiu para levar os filhos para a escola.

Meia hora depois Sheila retornou para a casa e novamente encontrou os moveis revirados. Agora, além da sala e da cozinha, os quartos também estavam bagunçados. Apavorada, ela telefonou para a policia dizendo que alguém poderia ter invadido a casa e provocado toda aquela desordem nos moveis. A moça que atendeu a ligação pediu para que Sheila aguardasse alguns minutos que logo chegaria uma viatura.

Trancada em seu quarto, Sheila esperava impacientemente a chegada da policia, andando de um lado para o outro sem parar, até que que ela ouviu um barulho na cozinha. Era o som de como se alguém jogasse uma cadeira contra a parede. Sheila ficou apavorada, mas mesmo assim, caminhando lentamente foi até a cozinha, chegando lá, se aterrorizou com o que estava provocando toda aquela desordem na casa. Parada ao lado da mesa estava uma velha senhora, que usava uma bota preta de couro, meias longas, uma saia marrom e uma blusa rosa, seu rosto enrugado e sua boca com graves problemas de dentição deixava ainda mais pavorosa sua expressão de raiva. A assustadora idosa olhou para Sheila e disse:

– O que você fez com as minhas coisas?

Sheila não disse nada, estava muito assustada até para se mexer.

Em um ataque de fúria, a velha senhora partiu para cima de Sheila, que correu dando gritos desesperados de socorro enquanto era perseguida. A velha correu atrás de Sheila pela casa toda, sempre dizendo: Por que você mexeu nas minhas coisas? Você não devia ter feito isso!

Sheila correu e se trancou no quarto, e enquanto ouvia a velha gritar e esmurrar a porta, decidiu pular pela janela. Um vizinho que já havia ouvido os gritos correu para ajudá-la. Ele perguntava o que aconteceu, mas Sheila estava em choque, não conseguia dizer uma palavra., pois chorava muito. Só alguns minutos depois, na casa do vizinho e na presença de dois policiais, Sheila contou o que ela acabou de presenciar. Contou sobre os moveis fora de lugar e fez uma descrição da pavorosa velha. O vizinho de Sheila se espantou ao ouvir falar da velha. Ele disse que aquela senhora era a antiga dona da casa que Sheila comprou, disse que era uma velha chata que não gostava de ninguém e nem que mexessem em suas coisas, disse também que a velha senhora havia falecido há cinco anos atrás. Ao saber que aquela idosa que a perseguiu pela casa havia morrido há um bom tempo, Sheila ficou ainda mais apavorada, tanto que se mudou novamente na mesma semana. Sheila vendeu a casa bem barato para uma imobiliária, comprou uma casa menor em um local bem longe dali, mas desta vez, uma casa sem o fantasma de uma velha perturbada.