Vinícius

 

Eai galera, me desculpem nao ter postado na semana pasada, as coisas na andam muito bem, mas hj eu vo posta um post muito dahora q mandaram para o nosso e-mail…Espero q todos gostem.

Uma época, eu morava em São Paulo e meus pais aqui no Rio de Janeiro. Vim visitá-los.

Numa tarde, quase noite, eu tentei dar um cochilo. Tinha a visita de duas tias, uma delas é kardecista. Deitei-me na minha cama antiga e logo quando eu deitei ouvi um barulho de sacos de mercado: “chec chec chec chec” . Aí fui até o corredor possessa dizendo: “Poxa, quem é que está fazendo esse barulho?” Não tinha ninguém. Novamente “chec chec chec chec”  rs, aí eu pensei: “Será que é barata? Mas aqui em casa não tem baratas!”, de qualquer maneira alguma poderia ter vindo lá de fora. Olhei embaixo da cama, tudo próximo e nada.

Daqui a pouco eu escuto barulhos de passos do meu lado e fui seguindo o som com o olhar, o espírito de uma moça de uns vinte anos, loira dos cabelos meio repicados até um pouco abaixo dos ombros, traços finos, blusa de manga comprida branca e calças entre azul-claro e azul-marinho, apareceu com o olhar perdido. Certamente ela não estava ali, estava olhando para algo em outro plano talvez. Quis questioná-la, mas eu poderia assutá-la. Foi sumindo devagar.

Eu não senti medo. Levantei e disse para a minha irmã:

– Eu vi um fantasma.

Aí ela:

– Ah, você também viu?

Contei para o meu irmão também e era a mesma moça com quem ele, na noite anterior teve um pesadelo. No sonho ela tentava entrar no quarto dele com uma faca furando a porta. Para nós, era uma estranha.

Na minha opinião, foi minha tia por afinidade quem levou o espéctro, ela estava chegando do Centro. Meus irmãos também têm um pouco de clarividência expontânea.

Espero que todos tenham gostado, por favor nos ajudem na divulgação do blog.Valeu galera!!

Anúncios