Guilherme

 

Olá pessoal aqui está mais relatos para vocês se divertirem!

Quando eu tinha 13 anos eu morava em uma cidade perto de Curitiba. Tenho muitas histórias de fantasma que aconteceram lá, mas dessa vez vou contar sobre 2 que me marcaram muito.

Eu morava na mesma rua onde ficava a escola que a minha mãe trabalhava. Essa escola tinha muitas histórias de fantasmas. Mas o mais famoso fantasma era o de um bandeirante que podia ser visto andando pelo telhado da escola de noite. Eu nunca vi o bandeirante pessoalmente, mas eu vi algo estranho. Eu tinha uma irmã mais velha que morava depois da escola. Uma noite depois de visitar ela, eu e uma amiga estávamos passando pela frente da escola. Estava tudo escuro, só tinha a luz da lua para iluminar o nosso caminho e um poste aqui e outro lá na frente. Na frente da escola não tinha poste nenhum. Quando nós estávamos passando pela frente da escola eu olhei para a lua cheia, mas enquanto eu olhava para cima para a lua, eu vi alguma coisa refletindo a luz dela no telhado. Era uma espada… a lâmina da espada estava refletindo a luz da lua! A minha amiga ficou apavorada, mas eu achei bem legal. Pena que não deu pra ver mais nada direito porque a minha amiga saiu correndo e eu tive que ir atrás dela.

Essa outra história foi, na verdade, bem mais assustadora. Numa noite um grupo de amigos e eu decidimos passar a noite no campo. Nós escolhemos um lugar chamado toca do diabo, que é uma grande formação rochosa. É um lugar bem legal onde você pode escalar pedras e entrar em pequenos túneis. Nós éramos em 7. Depois de um tempo lá decidimos ir dormir, então pegamos os nossos sacos de dormir e nos ajeitamos. Depois de um tempo deitados e quase dormindo ouvimos o que parecia ser tiros. Parecia uma salva de tiros, na verdade, muitos tiros. Parecia que estava vindo do topo de uma das colinas que tinha ali, a toca do diabo ficava no pé da colina. Nós levantamos e olhamos na direção do topo da colina. Lá em cima nós vimos o que parecia ser um bandeirante com uma flecha no peito e um outro ajudando ele a andar, vindo na nossa direção. Nós ficamos ali parados, totalmente paralisados de medo. Enquanto os bandeirantes chegavam mais perto eles começaram a desaparecer. Isso pareceu quebrar a paralisia e nós saímos correndo dali. Nós contamos o que aconteceu para os nossos pais, e eles acreditaram em nós. Eu fiquei apavorada vendo aquilo acontecer, mas agora eu me sinto bem privilegiada vendo aquilo.

Essas histórias são verdadeiras e foram escritas do jeito que eu me lembro delas. Eu espero que você tenha gostado. Eu vou mandar mais coisas no futuro. Até a próxima… E lembre-se, tranque as suas portas e janelas, e deixe uma lâmpada acesa, ou até duas, nunca se sabe o que pode acontecer no escuro…

Anúncios