Guilherme

 

Olá pessoal aí está mais um post!

Meu pai, certo dia, tinha me contado uma história que aconteceu com seu irmão que hoje mora no Paraná e é uma pessoa bem resolvida, seu nome é Ricardo, ele era uma criança rebelde que respondia à sua mãe e ria dela por causa de sua religião.

Dona Maria era espírita, mas era uma pessoa que respeitava todo mundo, era uma mulher muito boa. 

Meu pai sempre foi um homem muito obediente que sempre respeitou sua mãe, ao contrário de Ricardo.

Quando Ricardo estava chegando na adolescência foi ficando pior, fumava muito, bebia muito e era um garoto muito rebelde, respondia a mãe e o pai. 

Meu pai disse que Ricardo bateu na própria mãe! Uma coisa realmente muito suja. 

Certo dia Ricardo tinha brigado com sua mãe por que ela havia descoberto que ele estava fumando. Foi uma briga muito feia, e dona Maria ficou muito chateada. 

Quando ele queria ofende-la, achava um meio de atacá-la usando sua religião. Meu pai disse que ela era uma mulher muito sensível. 

Mas acredito que meu tio acabou pagando pelo que fez… 

Certo dia ele estava se arrumando pra ir pra escola, arrumava seu cabelo e se olhava no espelho. Ele começou a ouvir uns gemidos, pensou que fosse coisa da sua cabeça. Ele colocava sua camisa… Era um espelho grande que ficava encostado na parede. Então reparou que uma sombra preta tinha aparecido atrás do espelho, pensou que era coisa da sua cabeça e continuou olhando para o espelho. A sombra apareceu do nada novamente e desapareceu, mas mesmo assim ele ignorou, mesmo sabendo que ele tinha visto algo. 

A sombra apareceu novamente, só que quando Ricardo foi olhar, não era apenas uma sombra, era um homem olhando pra ele com um semblante sério. Ele era corcunda, mas não aparentava ser uma pessoa velha. 

Ricardo ficou com medo e começou a gritar pelo nome de sua mãe. Quando ele olhava para trás não tinha absolutamente nada, mas era só ele olhar pro espelho que via aquele homem. 

Ricardo perguntou quem era. Ele não respondia. Ricardo saiu correndo para a sala e sentiu um vento em seus ouvidos como se alguém quisesse falar algo. Começou a chorar e gritava pelo nome da mãe. 

Quando dona Maria chegou encontrou Ricardo deitado no chão com as mãos nos olhos. Ele chorava. Ela abraçou Ricardo e perguntou o que estava acontecendo. Ele contou, e sua mãe deu muito apoio à ele. 

Hoje Tio Ricardo segue a mesma Religião que tanto criticou.

Dois anos depois do acontecido do espelho Dona Maria faleceu, Ricardo se lamentou muito, pois já era tarde demais para querer concertar as coisas. Mas a ultima palavra que ela disse pra ele foi: “eu te perdoo”.