Vinicus

 

Eaew galera, ai vai mais um post muito loko!!

 

Quando eu era criança, era muito curioso, tinha curiosidade por qualquer coisa, mas me interessava mesmo por histórias sobrenaturais.

Sempre ia na casa do meu primo que morava um pouco longe. Uma vez por mês eu aparecia por lá. Ele me dizia que na casa dele as torneiras se abriam sozinhas e que ele vivia ouvindo passos. Dizia-me que morria de medo e que daria tudo pra não passar por isso.

Eu dizia pra ele que era um covarde, uma criança boba que tinha medo de qualquer coisa, eu vivia zombando dele. Mas se arrependimento matasse…

Também morria de inveja dele, adoraria ver um vulto ou um fantasma, sei lá, qualquer coisa. Dizia pra mim mesmo que não teria medo… Até certo dia eu ver o sobrenatural de perto.

No meu quintal havia uma balança, eu estava me balançando. Lembro-me que meu pai tinha feito a balança pra mim, era de madeira e ficava amarrada em uma árvore. Tudo estava tranqüilo até que a balança começou a ir pra frente e pra trás sozinha! Era como se tivesse alguém a empurrando, mas não havia ninguém! Eu gritava por minha mãe, mas ninguém me ouvia.

E o pior era que balançava tão forte que eu não tinha coragem de me jogar. Eu apenas sentia como se estivessem mexendo com a balança, mas depois eu senti alguém me tocando… Comecei a chorar e gritava pelo nome de minha mãe, mas ninguém me ouvia.

Eu chorava muito e percebi que a balança começou a parar. Quando ela estava quase parando eu pulei e saí correndo. Fui pra casa da minha avó que era minha vizinha na época. Contei pra ela do acontecido, mas ela não acreditou em mim. Disse que era o vento, mas eu saberia se fosse. Eu dizia que tinha sentindo alguém me tocando e empurrando a balança, mas ela não acreditava em mim.

Mas enfim, eu aprendi a lição. Aconselho as pessoas a não ficarem brincando com essas brincadeiras do compasso ou do copo, pois acredito que é mexer com coisa que não se deve.

Eu nunca brinquei com essas coisas, mas desejei tanto poder ver algo fora do comum que acabei me dando mal. É um trauma que até hoje tenho guardado comigo. Hoje mal posso ouvir o barulho do vento mexendo alguma coisa que morro de medo.

Até breve, espero que tenham gostado.

 

Obrigado!! Por terem lido, e por favr nos ajudem a divugar o blog!!!

Anúncios